5 de novembro de 2014

É melhor ser alegre que ser triste

“Deus sussurra em nossos ouvidos por meio de nosso prazer, fala-nos mediante nossa consciência, mas clama em alta voz por intermédio de nossa dor; este é seu megafone para despertar o homem surdo.” – C.S. Lewis, em O Problema do Sofrimento.

Um dos aspectos que mais gosto no jeito de C.S. Lewis escrever é a habilidade de trazer a tona o lado profundo do óbvio, de colocar bem na nossa frente o plano de fundo dos cenários nos quais a gente vive todo dia, mas que nem paramos para tentar entender ou nem sabemos como explicar. E vai me dizer que isso aí em cima não é verdade?

Sabe aquelas vezes nas quais uma dor ou mal estar vem com tudo? Então, dia desses eu estava numa cólica horrorosa e tomei dois comprimidos de dipironas juntos. Antes de eles fazerem efeito, minha pressão abaixou e em parceria com a cólica, acabou sendo um dos piores estados nos quais fiquei esse ano.

Enquanto esse mal estar não passava, tudo em que eu conseguia pensar era em como eu não queria estar passando mal. Como eu nem lembrava qual era a sensação de não passar mal naquele momento. E como eu não valorizava os momentos de bem estar quando passava por eles.

Geralmente a gente só quer saber como passar pelo deserto, por momentos de desconforto, como lidar com a dor. Isso porque na maioria das vezes a gente acha que sabe lidar muito bem com a felicidade. Mas será que sabemos mesmo? É mais fácil ouvir a Deus quando ele usa o megafone. Quando estamos em dor, parece que Ele vem nos dar uma chacoalhada, nos acordar. Quando parece estar tudo bem parece mais difícil estar atento aos sussurros. Adormecemos.

Não deixe para acordar só na dor. Deus está presente em todos os momentos. Davi escreveu muitos salmos pedindo pela provisão do senhor em tempos de guerra, por sabedoria para tomar decisões, por perdão na hora de se arrepender dos pecados, mas também escreveu vários sobre a beleza da criação do Senhor, sobre Sua bondade e misericórdia, sobre como é bom viver em comunhão, sabendo que temos um Pai de amor.

Que nossos salmos, nossos dias e nossas orações não precisem ser só de lamento e dor. Que a gente escute o sussurro de Deus tão bem quanto quando Ele decide usar o megafone. Vamos viver em gratidão! Se estiver difícil, Jeremias já nos deixou uma dica:

“Eu lembro da minha tristeza e solidão, das amarguras e dos sofrimentos. Penso sempre nisso e fico abatido. Mas a esperança volta quando penso no seguinte: O amor do Senhor Deus não se acaba, e a sua bondade não tem fim. Esse amor e essa bondade são novos todas as manhãs; e como é grande a fidelidade do Senhor!” – Lamentações 3:19-23








Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!