21 de agosto de 2014

Amadurescência

Que a adolescência é aquela fase problemática pela qual todos passam não é novidade para ninguém. Nosso corpo muda, nossa cabeça não entende nada e a gente vai sobrevivendo aos trancos e barrancos. Alguns dizem que essa fase de transição vai até os 18, outros até os 24 e pasmem, há quem defenda que esse período vai até os 30 anos (Isso explica algumas coisas, hein?! Kkkk...). Independentemente do que dizem os especialistas o fato é que uma hora a gente tem que passar de fase e amadurecer, às vezes tudo ocorre naturalmente, outras vezes precisa ser na marra mesmo e disso ninguém gosta.


Amadurecer tem a ver com risco, tentativa, frustração, dor, suor, perda, choro e muitíssimas vezes com o fracasso. De tempos em tempos todos nós passamos por momentos como esses, mas na maioria das vezes custamos a nos dar conta de que sempre há algo além, que nada é em vão e que Deus (sempre Ele!) pretende nos aperfeiçoar e nos levar mais fundo do que gostamos de mergulhar. Enquanto andarmos por essa terra teremos como propósito nos aproximarmos a cada dia da estatura de varão perfeito. 


O fruto não amadurece pela sua própria força, ele está condicionado ao tempo, às estações, à qualidade da terra e o mais importante, em estar firmado em uma árvore. Em João 15, Jesus ensinou aos seus discípulos que Ele era a videira verdadeira e todos nós que dizemos ser seus seguidores, os ramos. Se continuarmos ligados nEle daremos os frutos que Ele espera e para os quais fomos formados para gerar, longe dEle tudo é esforço vão e energia desperdiçada. 


Amadurecer custa caro, custa nossa independência, nossos preconceitos, nossos confortos e manias, exige passos de fé e confiança no amor de Deus, mas aqueles homens e mulheres de Hebreus 11 compreenderam que não há outro caminho para seguir e Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles.



“Todos estes ainda viveram pela fé, e morreram sem receber o que tinha sido prometido; viram-nas de longe e de longe as saudaram, reconhecendo que eram estrangeiros e peregrinos na terra.
Os que assim falam mostram que estão buscando uma pátria.
Se estivessem pensando naquela de onde saíram, teriam oportunidade de voltar.
Em vez disso, esperavam eles uma pátria melhor, isto é, a pátria celestial. Por essa razão Deus não se envergonha de ser chamado o Deus deles, pois preparou-lhes uma cidade.”
Hebreus 11:13-16






Ana Júlia, 25 anos, Estatística. 
Solteira. 
Twitter: @anajuliah_c
Frase: "Não são grandes homens que 
transformam o mundo, mas sim os fracos 
nas mãos de um grande Deus." (Irmão Yun)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!