9 de março de 2014

Motivação, comunhão e adoração


Sabe quando você lê uma notícia e nem acredita no que aconteceu? Seja pelo nível de bizarrice, crueldade ou improbabilidade, tem certas manchetes que deixam a gente com uma mistura de surpresa e negação. Foi bem isso que me ocorreu quando li uma matéria sobre um culto ateu.

Dizem que essa história já é velha, mas em Londres tem um grupo que se reúne na Sunday Assembly (Assembléia de Domingo) para compartilhar momentos repletos de canções, reflexões e relatos de vida. Até uma sacolinha passa por quem está presente, para que cada um faça uma doação para ajudar a manter os encontros.


Celebração de histórias de superação, reflexões sobre a sorte de ter uma mente em funcionamento, e músicas pop que combinem com o assunto. Uma hora depois é hora de todos confraternizarem, comendo biscoitos, leite, café e chá. Ao final, ninguém solta um “fique com Deus”, afinal de contas, é um culto ateu. (Você pode ler o texto completo aqui: http://www1.folha.uol.com.br/mundo/2014/02/1406332-culto-ateu-em-londres-tem-musica-pop-sacolinha-e-comunhao-com-biscoito.shtml )


Eles não se denominam como uma “igreja dos ateus”, mas são “uma congregação sem Deus que celebra a vida”. Criada há menos de um ano em Londres, a Sunday Assembly já tem 30 “filiais” nos Estados Unidos, Austrália e Canadá, sendo que o Brasil pode ganhar uma em breve.


Esse assunto rende muito pano pra manga, mas o que mais me chamou a atenção quando li a matéria não foi a atitude deles, mas a nossa.

No salmo 133:1 está escrito: “Como é bom e agradável que os irmãos vivam em união”. E fala sério, é bom demais ir para o culto e encontrar um monte de amigos, aqueles mais achegados que um irmão, com quem a gente pode rir e chorar a qualquer hora e em quem a gente pode confiar de olhos fechados.

Mas se Jesus não for o centro, se Ele não for a nossa motivação, o que vai diferenciar o nosso culto das reuniões que a Sunday Assembly promove? Porque música, testemunhos de vida e confraternização a gente encontra em todo lugar. O que nos difere então? Qual é a nossa intenção? Será que é mesmo exaltar o nome de Jesus, ou só passar um tempo agradável na companhia de quem a gente gosta? O que te faz sair de casa em um sábado ou domingo à noite e ir para a igreja? Diversão, costume, obrigação...? Qual é a sua motivação?

Um dos salmos que mais gosto é o 145, que para mim é um resumo de como uma vida em adoração deve ser. E, de tudo o que se deve ter como motivação, que esse estilo de vida esteja no topo da nossa lista.
Eu te exaltarei, ó Deus, rei meu, e bendirei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre. Cada dia te bendirei, e louvarei o teu nome pelos séculos dos séculos e para sempre. Grande é o Senhor, e muito digno de louvor, e a sua grandeza inescrutável. Uma geração louvará as tuas obras à outra geração, e anunciarão as tuas proezas. Falarei da magnificência gloriosa da tua majestade e das tuas obras maravilhosas. (...) A minha boca falará o louvor do Senhor, e toda a carne louvará o seu santo nome pelos séculos dos séculos e para sempre”. Salmos 145:1-5,21






Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!