7 de fevereiro de 2014

O céu está em todo lugar



"Pois desde a criação do mundo os atributos invisíveis de Deus, seu eterno poder e sua natureza divina, têm sido vistos claramente, sendo compreendidos por meio das coisas criadas, de forma que tais homens são indesculpáveis" - Romanos 1:20 

 Sempre achei que a gente consegue ver as manifestações de Deus e Seu reino em um tanto de lugar. Às vezes pode ser fácil pensar que a gente só vai ver Deus na Bíblia, ou em músicas, filmes e outros produtos do mercado gospel. Nunca fui com a cara desse tipo de pensamento, afinal de contas, O céu está em todo lugar¹. Na maioria dos casos, depende é dos olhos de quem vê.

Então, que tal ampliar os horizontes? Eu sou um tanto suspeita para falar, porque amo passar horas acompanhada de um bom livro, mas tem vários autores por aí que deveriam ser considerados de leitura obrigatória. (Leitura obrigatória não, porque todo mundo sabe que quando a gente lê algo por obrigação, a tarefa fica um saco. Então deveriam ser leituras obrigatoriamente prazerosas, porque isso sim eles são).

C.S. Lewis. Acho que se vocês perguntassem a várias pessoas, cada uma iria indicar um autor diferente, mas é o Lewis que está no topo da minha lista. Com ele, dá para ter de tudo um pouco: desde As Crônicas de Nárnia e da Trilogia Cósmica (ficções de altíssimo cunho cristão), passando por Alegoria do Amor (estudo de obras literárias medievais), até A Abolição do Homem e Cristianismo Puro e Simples (ensaios sobre a Lei Natural e, bem, cristianismo).

Já tem um bom tempo que estou lendo O problema do sofrimento. Leio umas cinco páginas por dia, parando sempre para digerir o conteúdo de uma ideia antes de pular para a outra – mais complexa ainda - que ele já joga no parágrafo seguinte. Uma delícia! Ele tem propriedade sobre aquilo que aborda, mas sem nunca soar pretensioso. E se eu não tivesse nenhum outro motivo para gostar dele (sua genialidade, por exemplo), já gostaria só por conta disso.

Eu caio de amores pela escrita e pelas linhas de pensamento do Lewis, mas talvez você vá torcer o nariz para ele. Se esse for o caso, nem tudo está perdido (ainda resta uma esperança!). Para mim, não há ninguém nesse mundo que simplesmente “não goste de ler”. O que acontece é que tem gente que ainda não descobriu do que gosta de ler. E oh, com o tempo a gente passa a apreciar até esses conteúdos que não são muito a nossa cara.

Para quem quer começar a se aventurar nas obras do Lewis, depois de Nárnia, indico fortemente a leitura de O Grande Abismo. Se o céu está em todo o lugar, com Lewis fica ainda mais tangente.
 

"- Aslam! - exclamou Lúcia - Ensine para nós como poderemos entrar no seu país partindo do nosso mundo.
- Irei ensinando pouco a pouco. Não direi se é longe ou perto. Só direi que fica do lado de lá de um rio. Mas nada temam, pois sou eu o grande Construtor da Ponte."
(A viagem do Peregrino da Alvorada, C.S. Lewis)


¹ “O céu está em todo lugar” é um livro que não tem nenhuma ligação aparente com cristianismo. Um dos personagens leva a protagonista a refletir sobre o fato de que não importa o que aconteça, se a gente olhar para o alto, o céu sempre estará lá, porque o céu está em todo lugar. E de fato, figurativamente falando, é só a gente olhar para o alto, porque Ele está em todo lugar.








Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!