12 de fevereiro de 2014

Mestre, quem pecou?

 

Ao passar, Jesus viu um cego de nascença.Seus discípulos lhe perguntaram: "Mestre, quem pecou: este homem ou seus pais, para que ele nascesse cego?"
Disse Jesus: "Nem ele nem seus pais pecaram, mas isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele. (João 9:1-3)
  

A Bíblia é realmente um livro muito fascinante! São tantos desfechos, tantas situações surpreendentes, que mesmo após milhares de anos ela permanece contemporânea. E se tem algo que podemos afirmar que não mudou após tanto tempo é: a necessidade do homem de obter respostas. Vemos isso no Antigo Testamento tantas vezes, mas acredito que no novo essa busca se torna mais evidente, talvez pela proximidade física do homem com Deus na pessoa de Jesus.


Confesso que, no inicio da minha caminhada cristã, por algumas vezes, me peguei questionando o comportamento dos discípulos. Não conseguia entender como Pedro foi capaz de negá-lo, Judas traí-lo e Filipe pedir que o mostrasse o Pai. Até que numa ministração teológica fui despertada para a repetição desses mesmos comportamentos em minha vida. Toin, rs!! 


A passagem que vimos revela uma dessas vezes, em que o homem quis obter de Jesus resposta para uma situação adversa: a cegueira de um homem.


Jesus respondeu, talvez da forma que menos esperavam, mas respondeu. Digo isso, porque imagino que esperavam do Mestre uma resposta clara que justificasse o sofrimento daquele homem. Nos dias hoje, permanece assim.


Por quantas vezes, em vez de colocar nossas adversidades em oração, queremos que Deus nos justifique o motivo de estarmos passando por isso ou aquilo. É exatamente como fizeram os discípulos: Mestre, quem pecou?


Confiar na soberania e controle de Deus nos parece pouco, queremos saber todas as raízes daquele problema. É mais ou menos aquela máxima: "Onde foi que errei?"


Queremos que Deus nos dê uma boa e plausível explicação para estarmos experimentando uma tribulação e, se essa tal explicação não vem, chegamos a dizer que o céu está fechado para nossas orações. Deus tenha misericórdia de nós!


Quanto a isso, me ocorre uma boa e uma 'não tão boa' notícia:


A boa é que a Bíblia nos responde, basta ler, meditar e encontraremos as respostas que buscamos.


A "não tão boa" é que em uma dessas respostas, a bíblia relata que devemos andar por fé. Ou seja, em nossa caminhada, por muitas vezes, seremos convidados a simplesmente confiar, sem respostas prontas. Isso é tão lindo pra falar... Mas disse ser "não tão boa", porque pra muitos isso gera certa ansiedade.


Sugiro a leitura de Hebreus 11, pois ajuda a digerir e entender este processo.


Andar por fé! Deus tem me convidado a experimentar este novo nível de relacionamento com Ele. Apenas crer, apenas confiar. 


É claro que pra muitas de nossas lutas é fácil encontrarmos a respostas em atitudes erradas que tivemos no passado, mas em outras simplesmente teremos a seguinte resposta: isto aconteceu para que a obra de Deus se manifestasse na vida dele. E ela deve nos bastar! Sem julgamentos, sem questionamentos. Apenas crendo. 


Por isso, quando tudo parecer confuso escolha crer que Deus tem um plano perfeito, com inicio, meio e final. Ah, e o final costuma ser bem feliz, viu?!


Fique na paz!


Elaine Souza, 29 anos 

Consultora de Negócios, Solteira.




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!