20 de janeiro de 2014

Vale lembrar: as aparências enganam!




“As aparências enganam!”. Esse deve ser um dos primeiros dos muitos conselhos/advertências (se enquadra na categoria de ditos populares?) que a gente escuta nessa vida. E por mais que a gente escute, acaba caindo nesse erro vez ou outra.

A vítima de uma das minhas tropeçadas mais recentes foi um rapaz com quem eu nunca tinha trocado uma palavra, mas que na minha cabeça já era desses que não dão bom dia a ninguém, que fecha a cara para sorriso de criança e se bobear, tortura filhotinhos por prazer (tudo bem, exagerei aqui, mas vocês entenderam).

Então um belo dia, quando precisei de ajuda, foi ele que me atendeu. Era a tarefa mais básica do universo: ele carregou umas caixas e sacolas para mim. Mas foi a “carregada” de caixas mais solícita, gentil e amigável que podia ter acontecido. E a que mais me deixou constrangida também.

Tem uma história no Antigo Testamento que também fala de alguém que errou na hora de julgar pela aparência. Eis que Elcana tinha duas mulheres, Ana e Penina. Penina tinha filhos, Ana, não. Cansada das provações de Penina, Ana vai ao templo do Senhor orar.

Ela, pois, com amargura de alma, orou ao Senhor, e chorou abundantemente. E fez um voto, dizendo: Senhor dos Exércitos! Se benignamente atentares para a aflição da tua serva, e de mim te lembrares, e da tua serva não te esqueceres, mas à tua serva deres um filho homem, ao Senhor o darei todos os dias da sua vida, e sobre a sua cabeça não passará navalha. E sucedeu que, perseverando ela em orar perante o Senhor, Eli observou a sua boca. Porquanto Ana no seu coração falava; só se moviam os seus lábios, porém não se ouvia a sua voz; pelo que Eli a teve por embriagada. E disse-lhe Eli: Até quando estarás tu embriagada? Aparta de ti o teu vinho. Porém Ana respondeu: Não, senhor meu, eu sou uma mulher atribulada de espírito; nem vinho nem bebida forte tenho bebido; porém tenho derramado a minha alma perante o SENHOR. Não tenhas, pois, a tua serva por filha de Belial; porque da multidão dos meus cuidados e do meu desgosto tenho falado até agora. Então respondeu Eli: Vai em paz; e o Deus de Israel te conceda a petição que lhe fizeste”.  
(1 Samuel 1:10-17)

E eis que Ana teve Samuel. E, em suas preces, foi confundida com uma mulher embriagada! Há tantos anos atrás, Eli (que era nada menos que um sacerdote) julgou uma situação pelo que aparentava ser aos seus olhos, hoje eu faço a mesma coisa e é muito provável que quem vier depois de mim também faça. Mas é algo para ser evitado. Assim como nessa passagem, o que nós vemos é só o lado de fora, as aparências, que podem muito bem interpretar de maneira enganosa. Só Deus conhece o que realmente conta. 

Porém o Senhor disse a Samuel: Não atentes para a sua aparência, nem para a grandeza da sua estatura, porque o tenho rejeitado; porque o Senhor não vê como vê o homem, pois o homem vê o que está diante dos olhos, porém o Senhor olha para o coração”.  
(1 Samuel 16:7)

Seja qual for a aparência ou a situação, que a gente não se apresse a julgar. Se for para apressar, que seja em amar.








Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!