6 de outubro de 2013

O bem que eu quero



Quando minha vida fica mega corrida, uma das coisas que eu mais sinto falta é de ficar sem fazer nada assistindo aos programas do Discovery Home&Health. Os de casamento, culinária, moda, decoração... Amo! 


Mês passado estreou um chamado “SOS Família”, com Jo Frost, que é a Super Nanny dos EUA. Nesse novo programa, no lugar de ajudar a disciplinar crianças, ela ajudava a família como um todo, e o trabalho maior era com os pais, para que soubessem liderar a casa da maneira certa. No primeiro episódio, Jo Frost dizia para a mãe da família que ela precisava ter pulso firme para mostrar aos filhos (já adolescentes) que ela os amava e estava disposta a fazer de tudo para que eles fossem disciplinados. E a mãe, que custava a seguir o caminho indicado por Jo, dizia que ela sabia o que precisava fazer, que já sabia de tudo o que a Super Nanny a instruía a fazer, mas que não tinha forças para colocar aquilo em prática.


E isso me lembrou de uma passagem de Romanos 7. Uma das minhas partes preferidas das cartas de Paulo. 

“Porque o que faço não o aprovo; pois o que quero isso não faço, mas o que aborreço isso faço. E, se faço o que não quero, consinto com a lei, que é boa. De maneira que agora já não sou eu que faço isto, mas o pecado que habita em mim. Porque eu sei que em mim, isto é, na minha carne, não habita bem algum; e com efeito o querer está em mim, mas não consigo realizar o bem. Porque não faço o bem que quero, mas o mal que não quero esse faço” (v 15-19).


O que a gente faz então? Se falhos e pecadores como somos, a gente até sabe o certo a se fazer, mas acaba indo pelo caminho errado? O bom é que para essa pergunta a gente também tem a resposta! 

“Miserável homem que eu sou! Quem me livrará do corpo desta morte? Dou graças a Deus por Jesus Cristo nosso Senhor. Assim que eu mesmo com o entendimento sirvo à lei de Deus, mas com a carne à lei do pecado” (v 24-25).


Nossa resposta é Jesus! É estando nEle que vamos conseguir ser fortes para fazer o bem que queremos e deixar de fazer o mal que não queremos. Se nossa carne nos dominar, serviremos à lei do pecado, mas podemos escolher a cada dia servir à lei de Deus e sermos livres do caminho de morte. A cada dia. Obedecer e ser disciplinado não são escolhas fáceis, mas através de Jesus, da graça que nos foi dada através dEle, somos capazes de não só saber o que é o bem, mas também praticá-lo e vencer o pecado!









Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!