28 de outubro de 2013

“... Cuidado olhinho no que vê”



"... então, vendo a mulher que aquela árvore era boa para se comer, e agradável aos olhos, e árvore desejável para dar entendimento, tomou do seu fruto, comeu...".
Gênesis 3: 6.


Onde você tem fixado os seus olhos?


Para o que tem inclinado os seus ouvidos?


Ao observar o texto Gênesis no capítulo 3 onde retrata o acontecimento em que a Serpente enganou Eva, podemos perceber que ela muito ouviu e o papo rendeu.


Rendeu? Sim, rendeu. Rendeu uma mudança de visão.


A árvore sempre esteve ali, mas depois do “papo” Eva começa a ver com outros olhos.


Alguém se identifica?


Isso é muito natural da mulher, pois somos muito envolvidas pelo que ouvimos e o que ouvimos naturalmente transforma o que vemos.


Quantas vezes não damos atenção a determinadas coisas e de repente basta que uma amiga diga: Nossa, que gracinha!


Plim! Já olhamos com outros olhos.


Talvez, você tenha pensado agora: Que isso Cíntia, eu não sou “Maria vai com as outras”, eu tenho opinião, não acho nada legal só pelo fato da minha amiga pensar assim. Não?


E quando aquele rapaz que você nem percebia de repente se aproxima e demonstra um certo afeto por você? Talvez em primeiro contato você não curte em nada a história, mas a amiga que está de fora aponta as qualidades dele, e no dia seguinte ele conversa com você mais uma vez. E então de tarde você comenta com a amiga sobre ele, e ela mais uma vez diz: ele é educado e é uma gracinha. No segundo dia de conversa você já presta um pouco mais de atenção, afinal, será? Será que ele é mesmo uma gracinha? E de repente aquele rapaz que não chamava sua atenção, tornasse alguém agradável, ou seja, você já o vê com outros olhos.


Eu dei o exemplo do rapaz, mas isso pode acontecer com uma blusa, com uma nova colega que chega na turma, um novo aparelho de telefone lançado ou com uma música, por exemplo, você escuta determinada canção e não presta atenção na letra, mas basta que alguém comente: Nossa que letra linda da música “tal” você já ouviu o refrão? Pronto! Na próxima vez que ela tocar, naturalmente a atenção será diferente para captar a informação.


Viu só? Não é questão de falta de opinião, mas uma tendência natural que temos de ao prestar ouvidos a determinadas coisas temos então a visão transformada.


E pensando nisso podemos entender o quanto zelo devemos ter à respeito daquilo que ouvimos, pois muito do que ouvimos determina de como vemos. E os nossos olhos podem nos levar a desejar algo que não é para nós e nos enganar muitas vezes.


Então, vamos ter zelo pelo que ouvimos, pensamos, dedicamos tempo e por fim...


“...cuidado olhinho no que vê”.






Cíntia Silveira, 28 anos.
Estudante, Seminário Teológico Carisma.
Twitter: @CintiaSilveira_
Blog pessoal: http://donodomeusorriso.com/
Frase: "Chegando, pois, a vez de Cíntia." (Ester 2:15)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!