15 de agosto de 2013

Quero ser grande


Dia desses eu estava com umas amigas e um grupo de crianças passou pela gente. Elas corriam pra lá e pra cá e pareciam não ter nenhuma preocupação além de brincar e serem felizes. Na hora soltei um “Ah, como eu queria voltar a ser criança...!”. Fala sério, acordar tarde, assistir desenho, ter tudo na sua mão, brincar até falar chega, ter matérias mega fáceis na escola, não precisar se preocupar com trabalho... E a lista de vantagens-de-ser-criança parece não ter fim. Mas, eventualmente, a gente tem que crescer.

Em I Coríntios 13:11, Paulo escreve:

“Quando eu era menino, falava como menino,
 sentia como menino, discorria como menino,
 mas, logo que cheguei a ser homem, 
acabei com as coisas de menino”

Pois é, uma hora as “coisas de menino” têm que acabar. Uma hora a gente cresce e querendo ou não, as responsabilidades vêm, os problemas com os quais a gente tem que lidar sozinhos vêm, as dores da vida adulta vêm, e o desejo de voltar a ser criança não vai ser mais do que isso, um desejo. Mas aí no versículo Paulo diz que conseguiu dar fim às coisas de menino. A gente deve conseguir também, né?

“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Há tempo de nascer, e tempo de morrer (...). Tempo de chorar, e tempo de rir (...). Tempo de buscar, e tempo de perder (...); tempo de estar calado, e tempo de falar (...). Eu sei que tudo quanto Deus faz durará eternamente; nada se lhe deve acrescentar, e nada se lhe deve tirar; e isto faz Deus para que haja temor diante dele. O que é, já foi; e o que há de ser, também já foi; e Deus pede conta do que passou.” 

Esses versos de Eclesiastes 3 mostram que tudo tem seu tempo. Tempo de viver a infância, tempo de amadurecer para a vida adulta. E eles garantem que nem tudo são flores. Tem tempo pra choro também. Mas de uma coisa a gente tem certeza: Deus é soberano sobre tudo isso, sobre todas as nossas fases! E vale a pena nos submetermos à vontade dele que é boa, perfeita e agradável.

É bom lembrar também que a vida cristã é progressiva. E Hebreus 5:12 ilustra um dos perigos da crise de Peter Pan na nossa caminhada com Deus ao dizer que 

“De fato, embora a esta altura já devessem ser mestres, vocês precisam de alguém que lhes ensine novamente os princípios elementares da palavra de Deus. Estão precisando de leite, e não de alimento sólido!”.

 Eu quero alimento sólido! Para isso, tenho que viver como alguém que pode receber esse alimento, não como uma criança que esperneia por ele, mas que na hora de se alimentar recebe o leite porque os pais sabem que isso é tudo o que ela pode aguentar no momento. 

Agora eu quero que meu “Ah, como eu queria voltar a ser criança...!”, passe a ser um “Que bom que eu aproveitei minha infância e minha adolescência, e hoje posso viver o que Deus tem pra mim nas próximas fases!”. É claro que essa essência de amor e inocência das crianças e não quero nunca perder. Afinal, é delas o reino dos céus! Mas o amadurecimento, principalmente o espiritual, esse eu quero aproveitar, e sempre crescer em estatura, graça e sabedoria, diante de Deus e dos homens.





Amanda Almeida

Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!