27 de junho de 2013

E o fruto?


Quais tem sido os meus frutos?

Me faço constantemente essa pergunta e confesso quem nem sempre sorrio ao avalia-los.

“…pelo fruto se conhece a árvore.” (Mateus 12: 33)

Quais têm sido os frutos de sua vida? No trabalho, faculdade, cursinho, família, amigos, vizinhos… E diante de Deus?

Respire fundo e vamos continuar a leitura…

Me auto avaliando, percebi que algumas coisas podem me impedir de frutificar, tais como: desonra, ingratidão, intriga, desleixo, mentira, preguiça, mágoa, fé vacilante, falta de relacionamento com Deus e tantas outras coisas. E isso é muito perigoso.

“…toda árvore, pois, que não produz bom fruto é cortada e lançada ao fogo.” 
(Lucas 3: 9)

Forte não é mesmo? Cortada e lançada ao fogo, isso me trás um grande temor. E umas das definições de “temor” no Dicionário Priberam da Língua Portuguesa é: temor |ô| s. m. 1. Medo, receio; sentimento respeitoso e também zelo e pontualidade.

Percebo então, o quão necessário é estar atenta aos meus frutos. Preciso zelar por eles, ser pontual e ter respeito à respeito daquilo que minha árvore (vida) produz. Eu te convido ao final dessa leitura a refletir sobre: Quais tem sido os seus frutos? Afinal, muitas pessoas virão ao Rei pelos frutos que verão em nossas vidas e isso é maravilhoso, na verdade uma honra não é mesmo?! Porém, lembre-se: Muitos poderão não vir a presença do Rei, também por causa de nossos frutos. Já pensou nisso?

Quais tem sido os nossos frutos? Os frutos que damos para nós mesmos e para aqueles que nos cercam ou que andam conosco? E os frutos que compartilhamos até para os que nos seguem nas redes sociais? Por exemplo, certa vez ousei a transformar o versículo de Lucas 6: 45 para a “linguagem de hoje ‘Cíntia’ Revista e Atualizada” e ele ficou assim: O FACEBOOK FALA DO QUE O CORAÇÃO ESTÁ CHEIO! (Parece engraçado não é? Mas afirmo que isso é muito importante!).

Quais têm sido os nossos frutos para aqueles que nos veem seja de perto ou de longe? Isso é muito sério, como disse acima as pessoas poderão vir à presença do Rei através dos nossos frutos e de nossas vidas, mas também poderão não vir. Precisamos zelar por aquilo que semeamos.

Já ouviram a frase “a gente é o que a gente come”? Então, penso que isso não é aplicável apenas naturalmente, mas espiritualmente somos exatamente assim. Então pergunto: O que tem definido nossos frutos? Quais são as sementes e o alimento? Onde estamos nos alimentando, para então alimentar? A questão é que só há uma maneira de darmos bons frutos, tendo uma vida alinhada a verdade, a verdade que é a Palavra de Deus.

“Permaneçam em mim, e eu permanecerei em vocês.Nenhum ramo pode dar fruto por si mesmo, se não permanecer na videira. Vocês também não podem dar fruto, se não permanecerem em mim. Eu sou a videira; vocês são os ramos. Se alguém permanecer em mim e eu nele, esse dá muito fruto; pois sem mim vocês não podem fazer coisa alguma.” (João 15: 4 e 5)

Somente n’Ele no Senhor e alinhados à sua Palavra e relacionando-se diariamente com Ele, alimentados e cheios do Espírito Santo, daremos bons frutos. Minha oração neste dia é que sejamos regados pelo Senhor e que a árvore que é nossa vida seja cuidada por Ele, podada pelo Espírito Santo. E que sejamos cheios do bom fruto do Espírito.

“Mas o fruto do Espírito é: o amor, o gozo, a paz, a longanimidade, a benignidade, a bondade, a fidelidade, a mansidão, o domínio próprio;” (Gálatas 5: 22 e 23)

Quais são os seus frutos?

Que sejamos todos como uma árvore de bons frutos e a cada dia mais parecidos com o Rei, afinal um filho se parece com o Pai.


Em amor, Cíntia Silveira.

(Texto gentilmente cedido pela Cíntia, visite o blog dela e seja abençoada! http://donodomeusorriso.wordpress.com/)


Um comentário:

Deixe seu comentário!