27 de março de 2013

Sobre lerdezas, mudanças e aquele que nos amou


Eu não costumo pegar o metrô, e não sou muito familiarizada com as estações aqui de BH. Dia desses eu precisava descer na Santa Efigênia, que fica depois da Santa Tereza. Quando chegou na tal da Santa Efigênia, eu fiquei em dúvida se já era ela mesmo ou se eu ainda estava na Santa Tereza, e voltei para o vagão. Na estação seguinte eu percebi que tinha passado da Santa Efigênia mesmo, e então fui até a estação final, esperando o vagão dar a volta para que eu chegasse de novo na Santa Efigênia. Uma colega minha entrou no vagão nessa última estação, e quando contei pra ela que eu estava esperando o metrô dar a volta, ela me perguntou por que eu não tinha simplesmente descido na estação seguinte pra pegar outro vagão voltando. Eu poderia ter feito em menos de 5 minutos o que demorei mais de 40 dando a volta! 

Enfim, contei isso só pra vocês ficarem familiarizados com o tamanho da minha lerdeza. E quando se trata da minha vida com Deus, a situação não é lá muito diferente. Ele precisa me mostrar algo umas três, quatro, cinco vezes para que eu preste atenção direito, veja o que Ele quer, o que Ele está fazendo. 

Desde o início desse mês eu vinha pedindo em minhas orações para que Deus me mudasse, me fizesse ser mais parecida com a versão de mim que existe no coração dEle. Sabe quando a gente escuta falar que fazer aquela oração do Salmo 139 é coisa séria? “Sonda-me, ó Deus, e conhece o meu coração; prova-me, e conhece os meus pensamentos. E vê se há em mim algum caminho mau, e guia-me pelo caminho eterno” (v 23-24). É coisa séria mesmo. A gente tem que estar preparado a ser sondado e mudado, porque quando pedimos, Deus realmente faz. 

Há pouco mais de uma semana, Deus foi me mostrando um monte de coisas que estão erradas em mim, através de várias situações. Seja nas minhas visões e concepções, no meu relacionamento com as outras pessoas, no meu relacionamento com Ele... Até escrevi uma lista, porque era tanta coisa que eu corria até o risco de esquecer. 

Então voltando à minha lerdeza, em um dos cultos do domingo passado, enquanto eu orava, pedi de novo “Deus, muda meu coração, me faz ser como o Senhor quer que eu seja”, quando Ele me responde “É isso que eu estou fazendo”. Na hora eu parei a oração e falei comigo mesma “Sério que eu demorei esse tempo todo pra perceber?!” Dizem que o primeiro passo para mudar é reconhecer o que está errado. E olha Deus fazendo isso aí a semana toda. 

Sobre o que Ele me mostrou de errado em mim, tem alguns pontos que vão ser mais fáceis, outros que vão precisar de um tiquinho mais de esforço, e um punhado que vai precisar de um tratamento intensivo com o Senhor. Aquelas coisas que parecem fazer parte de quem eu sou, e que não me imagino sendo “eu” sem elas. Mas Paulo diz em Romanos 8:35-36: “Quem nos separará do amor de Cristo? A tribulação, ou a angústia, ou a perseguição, ou a fome, ou a nudez, ou o perigo, ou a espada? Como está escrito: Por amor de ti somos entregues à morte todo o dia; Somos reputados como ovelhas para o matadouro”. 

Qualquer defeito meu, que ainda me impede de ser a versão de mim com a qual Deus sonha, não é capaz de me separar dEle. E é por amor a Ele que decido morrer para mim mesma todos os dias da minha vida, e com isso, matar também esses defeitos, mudando, de acordo com a vontade do Senhor. E eu sei que sou capaz de vencer minhas falhas, e não é por mim mesma, mas sim por meio daquele que me capacita. “Mas em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou” - Romanos 8:37.









Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!