7 de março de 2013

O problema da independência


Por conta da greve, o semestre passado foi uma correria só na faculdade. Ao invés de repor aulas até janeiro e fevereiro, meus professores decidiram acelerar o ritmo pra dar tempo de fechar o período ainda em dezembro. Em meio a trabalhos, visitas de campo, seminários, provas, relatórios e tudo mais, meu tempo estava sendo vendido a peso de ouro nos dois últimos meses do ano passado. Era ir pra faculdade, pro estágio, tentar ter uma vida social, tentar estudar em casa, tentar colocar tudo em ordem e tentar dormir, pra fechar o dia. Com essa vida corrida, a gente aprende a ser independente, e hoje isso acontece cada vez mais cedo. 

Aí um belo dia, dando uma pausa nesse ritmo acelerado, minha mãe me levou pra sair com ela. Eu amo essas saídas-com-minha-mãe. Nelas, parece que eu não preciso me preocupar com nada, porque ela se preocupa com tudo por mim! Quando eu penso em resolver alguma coisa, ela já tinha a solução bem antes de eu ao menos reconhecer o problema. No meio de toda a minha correria, eu tinha até esquecido o quanto era bom depender dela. 

É ótimo aprender a se virar sozinho, e nossa sociedade exige mesmo isso da gente. E apesar de sabermos dessa verdade, é sempre bom ser lembrado de que a gente tem um Deus com o qual a gente pode (e deve!) depender. Se parecia que minha mãe tinha a solução pra tudo, imagina o meu Senhor, o nosso Pai! É Ele quem guarda todos os nossos caminhos! 

Quando a gente aceita a Jesus, uma das partes do processo é reconhecer que somos dependentes de Deus. Só que a gente tem essa tendência a querer ser independente, a querer se virar sozinho. Mas uma boa noticia é que nossa vida toda é um processo de aprendizagem no módulo “dependência de Deus”. E um dos passos nessa jornada é reconhecer que a gente não é nada, tudo vem dEle! Desde o início, Davi, o “homem segundo o coração de Deus”, já sabia que as vitórias que ele conquistava não vinham do quanto ele ou seu exército eram bons, mas vinham da mão do Senhor. 

Em Provérbios 3:5-6 está escrito: “Confie no Senhor de todo o seu coração e não se apoie em seu próprio entendimento; reconheça o Senhor em todos os seus caminhos, e ele endireitará as suas veredas.” Que mesmo com toda a independência que esse mundo exige, a gente possa estar pronto a confiar nossos caminhos a Deus e não depender do que a gente sabe (ou acha que sabe), mas reconhecer a soberania dEle em nossas vidas. Porque no final das contas, nós somos falhos e não valemos nada, mas o amor dEle, manifesto através do sacrifício de Seu filho na cruz, é mais do que suficiente pra nos guiar pelos caminhos certos e fazer nossa vida ter valor. A gente só precisa viver nessa Verdade.








Amanda Almeida
Estudante de Comunicação Social na UFMG
Twitter: @mandyalmeida
Frase: Apaixonada por Aquele que me amou primeiro!

Um comentário:

  1. Muito bom, Amanda! Gostei do texto! Parabéns

    ResponderExcluir

Deixe seu comentário!