1 de setembro de 2012

Devocional: Testemunhas de um Cristo vivo

Olá, moças! Nesta semana, quero deixar com vocês o texto de Filipenses 2:5-8. E por isso, também, indico esse texto, escrito por Jeverton Ledo (Magrão), para a Sessão Ultimato Jovem. Quero nestas próximas devocionais refletir mais a respeito do precioso Evangelho! Pensem nisso e boa leitura!

Testemunhas de um Cristo vivo

Dias atrás, participei do Tribal Generation. Nesse encontro de diferentes cores, sons e tribos, abriu-se espaço para uma reflexão quanto a “redescobrir o caminho de nossos pais”. Tempo de debatermos as lutas enfrentadas para que o cristianismo seja verdadeiramente transformador na vida das pessoas e para que nós sejamos testemunhas do Cristo vivo. Pensando nisso, resolvi compartilhar com cada um de vocês algumas questões que vejo como relevantes nessa tarefa contínua da propagação do evangelho, já que vivemos uma verdadeira “babilônia cristã”.

A tarefa de expormos a bíblia e todos os seus ensinamentos é singular, pois se trata da verdade redentora da salvação. Destaco a importância do testemunho, a proclamação e o alcance das pessoas. Diante dos nossos dias, é preciso manter vivas tais atitudes em nossa caminhada, pois somos testemunhas recrutadas para essa obra [At 26.16-18]. Diante desse desafio, precisamos abrir mão de nós mesmos em favor de algo muito maior, o Reino.

Está em cada um de nós essa produção de uma contracultura cristã que apresente Deus em sua essência e sem novas roupagens. Sim, o Deus criador que tem no ser humano sua maior criação e isso fará com que todas as pessoas se sintam amadas, independente de qual seja sua “tribo”. Todos somos pecadores, e isso é outro aspecto importante, pois somos colocados como iguais e conduzidos ao esvaziamento pessoal. Essa proclamação deve respeitar culturas, pensamentos e a individualidade. Precisamos buscar pontos que permitam que o evangelho em sua integralidade penetre e faça sentido, dando um novo rumo à vida de cada pessoa. Entendo que as dificuldades são muitas por conta de uma sociedade cada vez mais plural, mas, creio que a transformação ocorrerá se voltarmos nossos olhos para Cristo e tivermos sua própria sensibilidade pulsando dentro de nós. Vamos deixar a presunção de que estamos aqui para ensinar, e, ao contrário, buscar a humildade e o serviço para apresentarmos o evangelho vivo e transformador.

Alcançaremos povos, raças e nações se percorrermos a curta distância entre mente e coração, se tivermos um compromisso de amor e escutarmos o clamor que vem de todos os lados. Continue dependendo de Deus e lembre-se que, no frigir dos ovos, métodos e estratégias são meras ilusões de eficácia diante da majestade de Deus.

Tende em vós o mesmo sentimento que houve também em Cristo Jesus, pois ele, subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus; antes, a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e, reconhecido em figura humana, a si mesmo se humilhou, tornando-se obediente até à morte e morte de cruz. [Fp 2.5-8]

Jeverton “Magrão” Ledo é missionário.
Retirado da Sessão Ultimato Jovem

Por: Karol Seixas (@KarolSeixas)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!