2 de agosto de 2012

Entrevista: Priscila Guerra


Difícil encontrar uma mulher que não ame falar sobre relacionamento conjugal, mas para ter uma vida sentimental abençoada precisamos aprender o que a palavra de Deus nos ensina nessa área. Por isso, nossa entrevistada da semana é a querida Priscila Guerra. Ao lado de seu esposo, o pastor Richarde Guerra, ela lidera o Ministério de Namorados da Igreja Batista da Lagoinha. 


Nome completo: Priscila López Lourenço Guerra
Idade:34 anos
Profissão: Professora de Química 


Conte-nos seu testemunho de conversão: 

Nasci em lar evangélico; os meus pais já eram da Igreja Batista da Lagoinha e, inevitavelmente, recebendo todos os ensinamentos bíblicos, me converti aos 9 anos. Nunca tive uma experiência de me envolver com padrões não cristãos, prostituição, drogas, bebidas, etc.; mas muitas vezes estive longe de Deus na própria igreja. Foi quando Deus, na sua muita misericórdia e graça, me ensinou que eu o tinha aceitado como Salvador e Senhor dos grandes eventos da minha vida (como vestibular, a busca de um namorado, carteira de motorista, escolha da profissão), mas não o aceitei como Senhor da minha vida por completo. Arrependida, confessei o meu pecado e, hoje, a cada dia, busco a dependência do Espírito Santo para que Jesus seja o meu Senhor de todos os eventos diários. A Ele toda honra, glória e louvor.


Na infância e adolescência houve algo que te marcou?

O que mais marcou a minha adolescência foi a minha entrega total da área sentimental a Deus. Como isso era um grande evento (construir a minha futura família), desde muito nova, aos 12 anos de idade, eu comecei a orar pelo meu marido. Orava para Deus o abençoar em todas as áreas. Por volta dos 18 anos, namorando um rapaz muito seriamente, arrumando as coisas para o casamento, eu resolvi buscar ao meu Pai celestial com mais fervor quanto a esse passo. E, surpresa! Deus me disse que não era ele! No ímpeto de ser obediente a Deus, terminei o namoro. Se alguém deseja conhecer melhor essa história, basta ler o livro “Amor Correspondido”, disponível na Seara Livraria da Igreja Batista da Lagoinha. Deus me deu o melhor, o meu marido Richarde Guerra, a quem eu tanto amo e quero viver para sempre ao seu lado. 


Ao lado do seu esposo, o pastor Richarde Guerra, você lidera o Ministério de Namorados. Quando começou a trabalharem nessa área? E como tem sido essa experiência? 

Desde o nosso namoro, Deus nos preparou para trabalharmos nesse ministério. Resolvemos ter um namoro santo e lutamos( com muita conversa, oração, leitura da Bíblia, jejum e acompanhamento de um casal casado mais velho) para arrumarmos as pendências da nossa relação. Tornamo-nos conselheiros de namorados, mais ou menos uns seis meses depois de casamos, em 2003. Essa experiência é muito enriquecedora, porque de graça recebemos e de graça podemos dar. Além disso, cada aconselhamento reforça em nossas mentes (minha e do meu marido) a Palavra de Deus e nos deixa sempre vigilantes quanto ao trato um do outro. 


 Qual a maior dificuldade vocês encontram nos acompanhamentos? 

Muitas vezes, os casais procuram acompanhamento quando o namoro está passando por crise. Alguns casos há salvação; mas, em outros, o estrago é tão grande que a separação é inevitável. O ideal é procurar acompanhamento assim que o namoro começa, pois não há traumas, apenas muita vontade e força para trabalhar o relacionamento para ele dar certo, e isso acontece!


Existe uma dificuldade maior em acompanhar jovens recém-convertidos que possuem padrões de relacionamento que não cristãos? 

Se o jovem aceitou Jesus como seu Salvador e Senhor de verdade, não há dificuldades, pois ele reconhece que os padrões não cristãos devem ser banidos e escolhe seguir a Palavra de Deus. É claro que um trabalho de discipulado, mudança de mente, renúncia e perdão dos pecados tem que ser feito, mas o jovem que quer e busca a Deus, consegue, com a ajuda do Espírito Santo, vencer todas as barreiras. 


O que é mais importante ser descoberto pelo casal no período do namoro? 

Tudo! E para isso a conversa é essencial. Deve-se conhecer os planos de vida em todos os aspectos do outro: espiritual (o nível de intimidade com Deus), profissional (como está o presente e metas para o futuro), estudantil, ministerial (ser missionário nas tribos indígenas?), quantos filhos pretendem ter, gostam de viajar, o que gostam de comer, como arrumam a casa, entre outros. Isso não é regra, mas alguns precisam saber do passado do outro para se sentirem mais confiantes no presente. Para os que não têm essa necessidade, tudo bem.


 Um ditado popular afirma que os "opostos se atraem". É possível existir um relacionamento saudável e feliz entre duas pessoas completamente diferentes? 

Sim. Tudo depende do quanto você está disposto a ceder. Relacionamento saudável é você escolher fazer a outra pessoa feliz em detrimento das suas vontades enquanto o outro está com essa mesma preocupação. Nessa disputa, o relacionamento sai ganhando, assim como as pessoas saem felizes. 


Por que é tão importante num relacionamento que o casal compartilhe da mesma fé? 

Porque Amós 3:3 diz “Duas pessoas andarão juntas se não estiverem de acordo?” e Romanos 15: 5,6 diz “O Deus que concede perseverança e ânimo dê-lhe um espírito de unidade, segundo Cristo Jesus, para que com um só coração e uma só voz vocês glorifiquem ao Deus e Pai de nosso Senhor Jesus Cristo”. Como terão acordo, espírito de unidade e uma só voz com fé em algo diferente? 


Que consequências pode trazer um relacionamento sexual antes do casamento? 

As pessoas que se envolvem nessa prática não têm noção dos grilhões e cadeias que o Diabo as prendem, raízes de iniquidade. 

I Coríntios 6: 18 a 20 diz “Fujam da imoralidade sexual. Todos os outros pecados que alguém comete, fora do corpo os comete; mas quem peca sexualmente, peca contra o seu próprio corpo. Acaso não sabem que o corpo de vocês é santuário do Espírito Santo que habita em vocês, que lhes foi dado por Deus, e que vocês não são de si mesmos? Vocês foram comprados por alto preço (o sangue de Jesus). Portanto, glorifiquem a Deus com o seu próprio corpo.” 

Quando uma pessoa escolhe pecar nessa área, ela está comprometendo toda a sua descendência com essa iniquidade. Se, mais tarde, ela se arrepender e quiser mudar de vida, o Diabo, por usurpação de lembranças mentais, desejos dos olhos, desejos da carne, lascívia, sensualidade, irá perturbar essa pessoa. Jesus pode libertar essa pessoa sim, aleluia, mas o processo é longo, gradativo e doloroso, é como se fosse uma desintoxicação, pois o seu corpo foi marcado pelo pecado. Vai ser uma luta (mental e física) diária contra esse mal, algo mais intenso do que uma pessoa que não se envolveu nessa prática. 


Já acompanhou casais que optaram pelo fim do relacionamento após serem aconselhados? 

Sim, e foi uma grande benção. Alguns relacionamentos começam ser a orientação de Deus ou a benção dos pais e precisam ser findados. 


Quais frutos um namoro cristão, fundamentado na Palavra de Deus, podem gerar? 

Todos os frutos do Espírito Santo de Gálatas 5: 22 e 23: “Mas o fruto do Espírito é amor, alegria, paz, paciência, amabilidade, bondade, fidelidade, mansidão e domínio próprio. Contra essas coisas não há lei.” Um namoro fundamentado na Palavra de Deus, que é Jesus, tem direito a todas as promessas da Bíblia para ele e por isso “Um cordão de três dobras não se rompe com facilidade.” (Eclesiastes 4: 12) 


Mesmo com tantos meios de comunicação é possível perceber um grande número de jovens solteiros. Por que acha que isso acontece? 

Escolher ter um relacionamento saudável é escolher renunciar e muitos jovens só querem sua satisfação, não querem se doar ao outro. Assim, fica mais fácil ficar só, ou melhor, só se consegue viver só. 


Que conselho você daria para os jovens que estão passando pelo período da espera do cônjuge? 

A meu ver, a escolha do cônjuge é a escolha mais importante depois de Jesus. Ela define como será a sua família, seus filhos, seu cotidiano. Como somos seres limitados, conhecemos em parte o passado, vivemos o presente e não dominamos o futuro, a nossa área de atuação na escolha de uma pessoa fica muito limitada. Se entregarmos a Deus essa tarefa de escolher a pessoa certa para nós, além de Ele nunca errar e sempre querer o bem de seus filhos, estaremos confiantes do sucesso de nossa escolha. Ouse, entregue a Deus a direção da sua vida!


Deixe uma mensagem para nossas leitoras: 
O mais importante na existência de uma pessoa é experimentar, viver, três princípios:

Primeiro, reconhecer 100% sua natureza pecaminosa (raízes de iniquidade) e sua incapacidade de se achegar a Deus, mesmo que com muito esforço e força de vontade.

Segundo, reconhecer que só através de Jesus Salvador, você pode achegar-se a Deus, pois só o sacrifício de Jesus na cruz te livra das raízes de iniquidade e te dá um novo DNA.

Terceiro, reconhecer a maravilhosa graça de redenção em Jesus e entregar-se completamente a Ele como seu Senhor. Isso significa você não ter mais vontade própria, mas depender 100% do Espírito Santo para tomar qualquer atitude ou decisão. É viver a história que Deus sonhou para você diariamente.



Bate bola:

Namoro: conhecimento
Casamento: renúncia
Filhos: herança
Submissão: mandamento
Dinheiro: benção
Fé: Jesus
Sexo: construção
Traição: perdão
Uma palavra feia: iniquidade
Uma palavra linda: graça
Um cheiro: Môrim
Um lugar: casa
Jesus: tudo
Uma frase: Espírito Santo, eu reafirmo a minha total dependência do Senhor no dia de hoje e te entrego essa página em branco, esse presente que o Pai me dá, para que o Senhor escreva nela a minha história!







Elaine Souza, 29 anos 

Consultora de Negócios, Solteira.



Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!