20 de julho de 2012

A vida de um solteiro cristão

Olá!

Bom, acreditando no crescimento conjunto e na nivelação de homens e mulheres, por um tempo, vamos utilizar este espaço para que tanto homens, público-alvo desta coluna, como mulheres aprendam juntos conceitos básicos da vida cristã.

Tá, você deve estar se perguntando o porquê de utilizarmos um espaço destinado a homens para o aprendizado conjunto. A resposta é simples: para que nossas atitudes sejam, de fato, embasadas na verdade, uma vez que somente quando algo nos é ensinados é que pode ser de nós cobrado. Além disso, quando falamos de base, falamos do que é comum, consequentemente, do que é mútuo.

Retirado do site http://reieterno.com.br/2familia/solteiro.html, o estudo A vida de um solteiro cristão será gradualmente publicado, a fim de que todos nós aprendamos a nos reconhecer como seres singulares, particulares e cristãos.

Deus abençoe você! Espero que goste e que seus conhecimentos sejam aperfeiçoados. 


A vida de um solteiro cristão 

“Ora, numa grande casa não somente há vasos de ouro e de prata, mas também de pau e de barro; uns para honra, outros, porém, para desonra. De sorte que, se alguém se purificar destas coisas, será vaso para honra, santificado e idôneo para uso do Senhor, e preparado para toda a boa obra. Foge também das paixões da mocidade; e segue a justiça, a fé, o amor, e a paz com os que, com um coração puro, invocam o Senhor.” II Timóteo 2: 20-22 

Muitos perguntam sobre como deve ser a vida de um jovem solteiro cristão. Não podemos cair no erro de imaginar um padrão de vida por faixa etária. O chamado do Senhor é único, implicando uma vida substituída: “Já estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim...” (Gl. 2:20). A vida de qualquer discípulo de Jesus é guiada pelo Espírito Santo (Rm. 8: 14). A Palavra nos ensina sermos imitadores de Deus (Ef 5:1). Quando Jesus disse "quem me vê a mim vê o Pai" (Jo 14:9), Ele manifestou ali como é o caráter do Pai, a quem devemos imitar.

Um jovem solteiro deve ter em mente algumas coisas básicas. A seguir, o primeiro ponto de nosso estudo. 

1. Ter uma experiência verdadeira com Deus 

Alguém, inclusive um jovem solteiro, que experimentou verdadeiramente a Cristo, tem profundas marcas em sua vida. Eis algumas:

a. Está crucificado para os desejos da carne. “E os que são de Cristo crucificaram a carne com as suas paixões e concupiscências” (Gl. 5:24). Não vive dominado pelos desejos da carne. Experimenta vitória sobre o pecado. É o negar-se a si mesmo. É uma decisão resultado do seu compromisso com Cristo: “Se alguém quiser vir após mim, negue-se a si mesmo, e tome a sua cruz, e siga-me” (Mc 8:34).

b. Está morto para o mundo e o mundo morto para ele. Vive em busca das coisas celestiais. “Mas longe esteja de mim gloriar-me, a não ser na cruz de nosso Senhor Jesus Cristo, pela qual o mundo está crucificado para mim e eu para o mundo” (Gl. 6:14). A obra do Espírito Santo “nos fez assentar nos lugares celestiais, em Cristo Jesus” (Ef. 2:6) e lá buscamos as coisas que são de cima, onde Cristo está assentado à destra de Deus e não as que são da terra (Cl. 3: 1-2). O sistema mundano é inimigo de Cristo. Quem anda com Cristo não pode ser atraído por nada deste mundo. É uma questão de novo nascimento. A palavra sentencia: “Não ameis o mundo e nem o que há no mundo. Quem ama o mundo, o amor do Pai não está nele” (I Jo 2:15).

c. Seu velho homem foi crucificado com Cristo e surge um novo homem alicerçado em Cristo. “Sabendo isto, que o nosso homem velho foi com ele crucificado, para que o corpo do pecado seja desfeito, para que não sirvamos mais ao pecado” (Rm. 6:6). Esta experiência diária de morte na cruz é que nos faz vencer o pecado. Essa experiência resulta em “que se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo” (II Cr. 5:14), “porque, se viverdes segundo a carne, morrereis; mas, se pelo Espírito mortificardes as obras do corpo, vivereis” (Rm. 8:13).

d. Está morto para a lei e para o pecado, mas está vivo para Deus: “Assim, meus irmãos, também vós estais mortos para a lei pelo corpo de Cristo, para que sejais de outro, daquele que ressuscitou dentre os mortos, a fim de que demos fruto para Deus” (Rm. 7:4). Não seguimos um conjunto de normas, mas a Cristo. É Dele que recebemos o poder para vencer o pecado: “Assim também vós considerai-vos como mortos para o pecado, mas vivos para Deus em Cristo Jesus nosso Senhor” (Rm. 6:11). Não busquemos conhecimentos, que para nada serve, mas conhecer a Jesus. Ele é o Caminho, a Verdade e a Vida (Jo 14:6). 


Deus abençoe você!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!