19 de julho de 2012

Elegância: O homem elegante

A esta altura, como qualificaremos o homem elegante? 

Aquele que sabe vestir-se correta e apropriadamente para qualquer ocasião? 

Por certo que sim. Mas não só isso. O homem verdadeiramente elegante não se veste apenas com elegância, mas de bondade e assim vive em estado de elegância. É cortês e bem educado. Trata com deferência (sem subserviência, leia-se bajulação) os seus superiores, com simpática cordialidade os iguais e com superioridade amável os que lhe são inferiores, para o caso das relações de negócios. É atencioso e solícito para com os idosos. Homenageia a sua mulher com senso de humor e trata as outras com cortesia e austeridade. O homem elegante não quebra a palavra dada, não falta os compromissos sem um motivo justo, não chega atrasado, não se esquece de agradecer as atenções recebidas nem de retribui-las, não grita, não faz uso de palavrao, não é maledicente, não mente e não é indiscreto. Por outro lado, ao classificarmos como deselegaância trapacear nos negóios, ser desleal aos amigos, estamos concluindo que elegância é um todo indivisível  e não uma atitude circunstancial.

De onde se deduz que, para elegância, não há uma definição absoluta. Ligada às qualidades de gosto, de bom gosto, de educação de correção moral e de apuro social, ainda assim não é privilegio de alguns, mas de todo aquele que esta em harmonia consigo mesmo e com o próximo, como o seu tempo e com o mundo em que vive. 

Por:

Camila Verçosa, 26 anos, Estudante no Seminário Teológico Carisma.
Twitter: @camilavercosa
Frase: Articulista do savoir-vivre.E tudo, mesmo, começou com o amor do Cristo por nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!