19 de julho de 2012

Elegância: vestuário

Elegância na indumentária

A maior parte dos tratados de etiqueta atribui grande importância à indumentária. Com efeito, é o símbolo externo de elegância. Entretanto, condicionada como está a evolução da moda, obedece mais a esta do que propriamente às normas de etiqueta.
Convém esclarecer que, se os usos mudaram e continuam mudando, nada autoriza a má apresentação pessoal; queiramos ou não, refletem ou trazem uma carga de nossa personalidade, influencia muitos de nossos contatos sociais. O descuido na apresentação, tanto para homens como para as mulheres, assume a forma de desprezo para com as pessoas com as quais convivemos. Observe-se, porém que uma boa apresentação não se restringe ao apuro do traje. É muito mais. É higiene, é o uso de água e sabão, do xampu, do desodorante, das esponjas e das escovas.. Até mesmo em família o aspecto desleixado é insuportável; pode estar perfeitamente confortável em casa usando trajes apropriados ao relax interior, inteligentemente combinados, limpos e elegantes. É quando podemos afirmar que a vaidade bem dosada é uma grande qualidade.
Um toque de elegância
Não falaremos aqui de moda, mas das regras básicas para cada tópico.
Trajes
Não são rigorosamente determinados para as diversas circunstancias. O que conta é sentir-se em “estado de beleza”, sem, contudo chocar as pessoas com quem saem ou que as recebem, é fazer jus ao convite e homenagear quem convida. Entretanto, se o convite determinar o traje é preciso respeitá-lo. Tanto o smoking como o terno escuro, o vestido longo e o traje de coquetel devem ser usados quando mencionados. Não havendo exigências, é aconselhável consultar a anfitriã, adaptando-o às circunstancias e aos hábitos das pessoas de quem parte o convite.
Uma boa norma de elegância é vestir-se para ficar bonita, e não para chamar a atenção, porque afinal, a verdadeira elegância deve passar despercebida.
Falaremos em breve sobre o que constitui cada tipo de traje exigido em protocolos e convites cerimoniosos.

Semana que vem tem mais!

Por:

Camila Verçosa, 26 anos, Estudante no Seminário Teológico Carisma.
Twitter: @camilavercosa
Frase: Articulista do savoir-vivre.E tudo, mesmo, começou com o amor do Cristo por nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!