23 de julho de 2013

Como você os vê?



Queridas do Pai,

Quem me conhece sabe que sou mãe de uma linda menina, inteligente e obediente de 5 aninhos (ela é tudo que ministrei e pedi ao Pai enquanto a gerava) é claro que muito mais, porque Ele sempre supera nossas expectativas não é mesmo?! 

E não menos importante (óbvio) apenas seguindo a ordem cronológica, também sou mãe de um garotinho muito especial de 1 ano e 9 meses. Enquanto o gerava busquei a Deus a respeito de sua característica, sempre orava de modo abrangente trazendo a memória as inúmeras áreas na vida dessas crianças mas, buscava a característica como já disse para ser a cereja do bolo, entende?! E mediante a isso o Espírito Santo ministrava em meu coração também a respeito da peculiaridade de cada filho. 

Na gestação do menino o versículo 38 do capítulo 10 de Atos queimava em meu coração: “como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com Espírito Santo e com poder, o qual andava por toda parte fazendo o bem, e curando a todos os oprimidos do diabo porque Deus era com Ele”. Bem, chegando a hora de escolher o nome, a irmãzinha lançou seu palpite: Ricardo. Nunca percebemos esse nome e buscando saber seu significado descobrimos que é de origem Germânica, e significa senhor poderoso, então entendi, ele vai ser um homem cheio de poder do Espírito Santo. 

Aleluia!


O menino nasceu tudo corria perfeitamente bem até que ele cresceu um pouquinho e me deparei com um Universo alheio a mim, o “Universo Masculino”. 


Fiquei atônita ao perceber que minha experiência em muitos aspectos não se aplicava a ele. Imediatamente busquei ao Senhor, segundo pedi conselho a uma mulher de Deus mãe de um menino, que o próprio Senhor me indicou (lindo não! O cuidado do Nosso Pai!) e em terceiro lugar dei prioridade a leitura de um livro de homem de Deus, psicólogo com doutorado em Desenvolvimento Infantil e melhor ainda, cristão. Seu livro super indicado: “Educando Meninos”, caiu como uma luva para mim. 


Que refrigério o Senhor me deu através da vida de James Dobson. Não é um livro só para mães, seria maravilhoso se homens e mulheres pudessem lê-lo mesmo não tendo filhos.


Quero compartilhar com você um pouquinho da descoberta pessoal a respeito desse Universo.


O autor trata desde os aspectos físico-químicos à sociais, e sim há muitas diferenças entre homens e mulheres! Além das diferenças psíquicas e comportamentais temos funções e propósitos diferentes, pois, assim nosso Pai nos criou e tudo o que Ele fez era muito bom (Gn 1:31).


Não é tão evidente o ataque maligno específico direcionado a virilidade masculina, foi uma surpresa e muitas coisas fizeram sentido, sendo assim, transcreverei três trechos do livro, duas sobre as diferenças e outra sobre a forma que a mídia denigre a figura masculina.


"Suas diferenças não são resultado de um erro evolutivo, como é geralmente suposto hoje. Cada sexo tem uma propósito único no grande esquema das coisas. Como foi incrivelmente criativo da parte de Deus colocar uma forma diferente de domínio em cada sexo, a fim de que haja equilíbrio entre ambos! Quando eles se juntam no casamento para formar o que a Escritura chama de uma só carne, eles complementam e suplementam uma os outro".


"Os dois sexos tem contribuições a fazer, mas algo se perde quando as mulheres compreendem o que é ser mulher enquanto os homens estão confusos quanto o significado da masculinidade".


"Muitas feministas consideram a virilidade como uma armadilha da masculinidade. Um ponto central desta hostilidade é visto no esforço contínuo de convencer-nos de que os homens são tolos. Elas afirmam que a maioria deles é imatura, impulsiva, egoísta, fraca e não muito inteligente. Evidência dessa campanha pode ser ainda observada em quase todas as dimensões da cultura. É interessante notar,por exemplo, como o desrespeito pelos homens invadiu a indústria de entretenimento, inclusive muitos comerciais da televisão. A fórmula envolve uma linda mulher (ou um grupo delas) inteligente, sexy, admirável e autoconfiante. Ela encontra um homem relaxado, geralmente num bar, que é um vaidoso, ignorante... O sujeito estúpido, rapidamente se mostra quem é na tela, nesse ponto ela sorri desdenhosa ou vai embora. Há centenas desses anúncios na TV hoje". 

(livro: Educando Meninos, James Dobson)


E infelizmente isto não é uma mensagem passada exclusivamente para as mulheres desse mundo, quantas de nós por vez ou outra não fora influenciada a pensar que garotos, homens, não passam de bobalhões, contrariando sua importância para nós.


De fato, houve busca para que os direitos fossem iguais, e isto é irrevogável. Porém o curso da história mudou e atualmente muitos dos aspectos odiosos realizados por alguns deles no passado é realizado por nós mulheres nos dias de hoje.


Decidamos juntas valorizá-los e amá-los assim como Deus espera que façamos! Que os olhemos da forma como Deus os vê.


Por: Milene Góes

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!