19 de julho de 2012

Elegância: apresentações

É a partir das apresentações que se iniciam os contatos sociais, profissionais e amistosos. Daí a sua importância para o inter-relacionamento humano, o primeiro passo disso. Todos os dias, estamos conhecendo pessoas a quem somos apresentados e todos os dias estamos apresentando as pessoas umas às outras.
Saber receber uma apresentação como saber fazê-la funciona como um termômetro que registra a segurança e o perfeito conhecimento dos hábitos sociais do apresentador e do apresentado. Portanto, atenção às normas.

Regras básicas
Ao fazer-se a apresentação, cite em primeiro lugar o nome da pessoa mais jovem, ou menos importante pela posição ou cargo que ocupa.
Existem diferentes maneiras de se fazer as apresentações, todas igualmente corretas. Ex: Sr. A... Apresento-lhe o Sr. B.
O homem é sempre apresentado a uma senhora. Uma mulher solteira é apresentada à casada. Um jovem, ao mais velho. Apresenta-se um casal a uma pessoa só.
Nas apresentações, as pessoas de idade merecem consideração especial. A elas são apresentadas as outras pessoas.
Há quem pense diferente, isto é que a regra é apresentar o menos importante, seja ele mais velho ou mais moço. A mim, não me parece uma boa regra. Deve haver (e há) muitas maneiras de contornar a situação. E é ai que entram a habilidade social e o tato daquele que faz a apresentação.

De parentes
Basta dizermos, simplesmente, meu marido, José Antônio.
O parente mais próximo é sempre o primeiro a ser nomeado nas apresentações. Exceções: uma amiga jovem é apresentada a nossa mãe. E não é mencionado o nome do mais velho. 
Mais informações na próxima semana.  

Por:

Camila Verçosa, 26 anos, Estudante no Seminário Teológico Carisma.
Twitter: @camilavercosa
Frase: Articulista do savoir-vivre.E tudo, mesmo, começou com o amor do Cristo por nós.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!