20 de julho de 2012

A princesa e a ervilha



A princesa e a ervilha é um dos primeiros contos do dinamarquês Hans Christian Andersen, e inicialmente publicado em 1835.

Relata a história de um príncipe que desejava casar com uma princesa de verdade, mas ele estava tendo dificuldade em encontrá-la. Em certa noite de muita tempestade, bateu à porta do castelo uma moça, dizendo-se uma verdadeira princesa. Porém, devido às condições do tempo, ela estava em péssimo estado, toda molhada e com água escorrendo pelos cabelos. Para testar se a moça falava a verdade, a rainha a convidou para dormir no castelo. Antes, porém, colocou uma ervilha na cama em que a moça iria dormir e, por cima, vários colchões e cobertas.

No dia seguinte, ao perguntar à moça como ela tinha passado a noite, recebeu como resposta que a noite tinha sido péssima, porque alguma coisa a havia machucado. Com esta resposta, a jovem comprovou ser uma verdadeira princesa, pois somente uma verdadeira princesa poderia ter a pele tão sensível, e casou com o príncipe.


Quando ouvi essa história pela primeira vez fiquei radiante. Não raramente somos criticadas pelo excesso de sensibilidade que temos como mulheres, mas justamente por ser sensível a princesa dessa história conquista seu príncipe.

Quantas vezes, o nosso amado noivo tem nos convidado a nos aquietar e descansarmos nele certas de que não há outro lugar mais seguro para se estar do que escondidas na sua presença. Mas as cobranças surgem, seja por parte de amigos ou de familiares, mas surgem e o coração começa a se afligir: quando vou me casar? Onde está aquele que deus tem para mim? Infindáveis perguntas surgem chegando a comprometer a paz do coração.

Enquanto o esposo não vem, desfrute da presença do rei conhecendo-o intimamente, tendo a sensibilidade da "princesa/ervilha". Sensíveis a voz do noivo, Jesus. Nele não há engano e nenhuma espera é em vão. Ele tem o tempo certo para todas as coisas debaixo do sol, conhece os sonhos de cada uma de nós e os desejos mais secretos do nosso coração.

Se soubermos esperar (Nele) colheremos o melhor. Não se deixe levar por cobranças, não se aflija com questões ligadas a idade (Ele sabe todos os detalhes a seu respeito).

Lembre-se de que não há bem maior do que sermos livres de todo mal, não há bem maior do que sermos perdoadas, lavadas e remidas no senhor. Apegue-se a essa realidade, coloque buscar presença do Senhor como sua meta de vida e então perceberá que tudo mais é tão pequeno diante desse Deus que cuida de nós.


A graça e a paz do nosso noivo perfeito, Jesus.
Madalena de Matos

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário!