29 de junho de 2012

Se for da vontade de Deus...

Paulo inicia sua carta à igreja de Colossos (livro de Colossenses) dizendo que ele estava orando pelos irmãos dessa igreja desde que ouviu da fé deles em Cristo Jesus, de como eles tratavam com amor a todos os santos e de como estavam produzindo frutos e crescendo desde que OUVIRAM e ENTENDERAM a graça de Deus na verdade.
Como se não bastasse Paulo dizer que estava orando por eles (Cl 1:3) e explicar os motivos das orações (versos 4,5 e 6), nos versos 9 e 10 Paulo especifica o que ele (e os demais em sua companhia) estavam pedindo em suas orações a favor dos irmãos colossenses:
“Por esta razão, também nós, desde o dia em que ouvimos, não cessamos de orar por vós e de pedir que transbordeis de pleno conhecimento da sua vontade, em toda sabedoria e entendimento espiritual; a fim de viverdes de modo digno do Senhor, para seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento de Deus”.
Está aí um bom exemplo de oração que podemos fazer pelo próximo que já entendeu a graça de Deus e por nós mesmos. Porém, se faz necessário entendermos com mais propriedade o que querem dizer essas palavras originalmente:
...transbordeis (pleroo) significa tornar-se cheio, completar, fazer abundar, suprir liberalmente, estar plenamente abastecido, tornar-se perfeito.
...conhecimento (epignosis) significa conhecimento PRECISO e CORRETO.
... sua (autos) significa ele próprio, de si mesmo, o mesmo.
...vontade (thelema) o que se deseja ou se tem determinado que será feito, do propósito de Deus em abençoar a humanidade através de Cristo, escolha, inclinação, desejo, prazer, satisfação.
Podemos observar nessa oração de Paulo, então, que a vontade de Deus é muito mais profunda do que pensamos na maioria das vezes. Talvez nosso ego muitas vezes interprete a “vontade de Deus” como algo que se deve ou não fazer no âmbito particular e nos colocarmos no centro de tudo, onde, na verdade, é o lugar de Ele estar.
“O pleno conhecimento da vontade do Senhor” ou, em outras palavras, “o conhecimento preciso e correto, em abundância da própria vontade, satisfação, da escolha, do desejo e do prazer do Senhor e não de nós mesmos, a fim de vivermos de modo digno do Senhor, para seu inteiro agrado, frutificando em toda boa obra e crescendo no pleno conhecimento (preciso e correto) de Deus (da Trindade, das coisas referentes a Ele)”.
Que o Senhor com toda a sua graça e amor nos ensine a Sua vontade aquilo que está no coração Dele, para que cooperemos com o Reino do nosso Senhor.


Milene Góes, Casda, Fisioterapeuta
Twitter: @milenegoess
Frase:"Não tenha resposta pra tudo, é desnecessário".