29 de junho de 2012





Dia Internacional da Mulher: muito mais que uma comemoração
Sugestão de Leitura: Lucas 8: 43-48.
Desde 1975, oficialmente nesta data, se comemora o Dia Internacional da Mulher... Mas muito além das flores, presentes e homenagens, esse dia tem um significado muito maior, que deve ser comemorado, mas também deve ser a lembrança de que a luta ainda não acabou.
Em 1857, as operárias de uma fábrica de tecidos em Nova Iorque fizeram uma greve reivindicando melhores condições de trabalho, salários igualitários e tratamento digno. A manifestação foi tragicamente reprimida: as trabalhadoras foram trancadas na fábrica que foi incendiada.
A luta dessas fortes mulheres faz lembrar os princípios do Reino. O evangelho é a boa notícia da reconciliação, da restauração da dignidade. Em várias histórias na bíblia vemos que Jesus ao curar as pessoas não somente lhes dava restauração física, mas também social e moral. Cegos, leprosos que eram marginalizados, agora curados, voltavam a fazer parte do seu grupo cumprindo deveres e usufruindo dos seus direitos. Na cura da mulher que tinha uma hemorragia grave, acontece algo surpreendente. Jesus, no meio da multidão, quer saber quem o tocou. A multidão olha perplexa, o que aconteceria agora? A mulher treme de medo, mas aparece no meio do povo e diz: fui eu! Além disso, ela conta sua história para Jesus, fala da sua intenção ao tocá-lo e a cura. Nesse momento mais um milagre! Jesus pára uma multidão para ouvir, tão somente, a mulher. Imagine essa cena numa sociedade onde a mulher tem pouco valor e os doentes são marginalizados. Ele deu voz a uma pessoa oprimida e ainda disse na frente de todos: filha, a sua fé a curou!
Em 1857, as operárias de Nova Iorque deram voz a quem não tinha, eram mulheres oprimidas, que sofriam por conta da desigualdade e abusos de poder. Na bíblia também somos advertidas várias vezes a cuidar das viúvas e órfãos... É a lembrança que fomos chamadas para sermos agentes que promovem justiça, que acolhem a quem está vulnerável, que luta por aqueles que não têm forças ou condições!
Vários direitos que usufruímos hoje foram conquistados por várias pessoas que, no passado, lutaram e até morreram por isso! Fomos reconciliados com Deus porque Cristo morreu por nós, antes éramos pecadores e agora somos justificados! Cristo é nosso maior exemplo de amor e disse para que amássemos ao próximo como a nós mesmos.
Que esses exemplos do passado nos inspirem hoje e que as nossas histórias inspirem outras amanhã!
Mais que um Feliz Dia das Mulheres!
Por Karoline Seixas
e um toque especial de Marcela Foureaux